AREA DO ASSINANTE
UsuarioSenha
- HOME
- Alojamento
- Estatistica
Curiosidades sobre o ovo

Rico em proteínas, ele tem múltiplas funções: na saúde é base para vacinas

AVICULTURA

Taninos: uma novidade na avicultura

Pertencentes à categoria de metabólitos secundários de plantas e formados principalmente por componentes fenólicos, são utilizados para defendê-las e adaptá-las ao ambiente.

Publicado em

  

em

 
Foto: Shutterstock

Por muito tempo vimos taninos como fatores antinutricionais. Mas estudos recentes têm mostrando efeitos antioxidantes, antimicrobianos, anti-inflamatórios e anti-virais. Encontrados em diferentes concentrações nas plantas, os taninos estão presentes nas folhas, frutos, sementes, raízes e cascas, como por exemplo na castanha portuguesa (Castanea sativa). Pertencentes à categoria de metabólitos secundários de plantas e formados principalmente por componentes fenólicos, são utilizados para defendê-las e adaptá-las ao ambiente.

Existem três tipos diferentes de taninos: hidrolisáveis, condensados e complexos. Cada um deles difere em seu grau de polimerização, massa molar, estrutura e funcionalidade. Atualmente, temos fontes comerciais conhecidas para cada um dos dois principais tipos de tanino: hidrolisáveis e condensados.

Os taninos hidrolisáveis são ésteres de açúcar, geralmente de ácido gálico ou ácido elágico e são encontrados, principalmente, nas paredes celulares e nos espaços intercelulares de plantas dicotiledôneas. A fonte natural mais utilizada comercialmente e provavelmente a mais estudada no que diz respeito aos efeitos proporcionados ao desempenho e saúde dos animais é a castanheira portuguesa – uma fonte de tanino 100% hidrolisável disponível no mercado. Taninos hidrolisáveis recebem esta nomenclatura porque os seus polímeros podem ser hidrolisados produzindo moléculas mais simples. Isso denota uma característica muito importante desse tipo de taninos: a maior biodisponibilidade. Explicando, maior biodisponibilidade quer dizer que taninos hidrolisáveis podem ser degradados e absorvidos no trato gastrointestinal dos animais, implicando em uma série de efeitos mais pronunciados de combate aos radicais livres (ROS), ou seja, elevado poder antioxidante e maior efeito anti-inflamatório.

Já os taninos condensados são proantocianidinas não hidrolisáveis e resultam da polimerização do flavan-3-ol. A literatura mostra que as leguminosas são fontes ricas de taninos condensados, sendo o tanino extraído do Quebracho Argentino (Schinopsis lorentzii) uma das fontes de tanino condensado disponíveis no mercado.

Taninos condensados são polímeros mais complexos e de baixa biodisponibilidade para os animais. Ou seja, são taninos que atingem as porções mais distais do intestino, onde podem ser degradados via fermentação. Entretanto, não são absorvidos na corrente sanguínea dos animais. São taninos com maior adstringência, provocada pela maior capacidade de complexação às proteínas da digesta.

Aves

Em aves os taninos hidrolisáveis são usados principalmente por suas propriedades antimicrobianas e antioxidantes. Estudos demonstram que o tanino proveniente da castanheira portuguesa melhora o consumo de ração e a absorção de nutrientes em concentrações de 0,1% a 0,45%. Por outro lado, uma dose muito alta, de 0,71 a 1,5%, reduz a eficiência alimentar. Também, segundo pesquisas, a adição de 0,15%, 0,20% e 0,25% melhorou o desempenho de frangos de corte. Enquanto doses acima de 0,25% pioraram o desempenho.

Um exemplo de utilização do tanino seria contra o Clostridium perfringens. Esta é uma das principais bactérias responsáveis por diarreias em animais jovens. Ao suplementar taninos hidrolisáveis, podemos reduzir significativamente a presença dessa bactéria no trato digestivo dos frangos de corte. Entre as causas de diarreia em animais jovens há outras bactérias e protozoários que podem ser inibidos pela suplementação de taninos hidrolisáveis, como por exemplo, Eimerias.

Retirando antibióticos

Myriam Dahbi – Foto: Divulgação/Salus

Os taninos hidrolisáveis continuam sendo a fonte mais efetiva para melhorar o desempenho zootécnico. Pesquisadores demonstraram que a adição de 1kg/t de um produto comercial com concentração de 75% de taninos hidrolisáveis melhorou significativamente o ganho de peso e a conversão alimentar de frangos de corte desafiados com clostridium, substituindo o melhorador de desempenho antibiótico virginiamicina. Por tanto, os taninos podem ser utilizados para reduzir a quantidade de anti-microbianos utilizados na alimentação animal e são uma solução natural para combater patógenos, contribuindo assim para promover a sustentabilidade da produção animal.

Taninos Hidrolisáveis Taninos Condensados

– Fonte comercial mais estudada: Castanheira Portuguesa (Castanea sativa) – Advém, principalmente, de Quebracho (Schinopsis lorentzii)

– Maior biodisponibilidade – Menor biodisponibilidade
Maior efeito antioxidante e anti-inflamatório – Menor menor efeito antioxidante e anti-inflamatório

– Efeito antimicrobiano – Efeito antimicrobiano

Para ficar atualizado e por dentro de tudo que está acontecendo no setor avícola acesse acesse gratuitamente a edição digital Avicultura Corte e Postura. Boa leitura!

 

Fonte: Por: Myriam Dahbi, pesquisa e desenvolvimento na Mixscience, Grupo Avril


Veja mais notcias

27/10/2023 Nebulização e desinfecção, você está fazendo de forma correta?
07/09/2023 Qualidade de casca: principais fatores nutricionais
25/08/2023 Aditivos nutricionais à base de levedura têm duplo benefício: ajudam a reduzir o uso de antibióticos e contribuem para a melhor ..
22/08/2023 Desvendando os mitos do ovo: chalaza, cor da casca e da ...